Por onde começar a busca por um Gerente de Inovação

Antes de começar, é importante definir quem é o Gerente de Inovação. Uma boa definição geral seria: Profissional que lidera a busca por oportunidades estratégicas de negócios futuros para a empresa.

Um dos elementos fundamentais de sucesso é que o profissional de inovação precisa atuar fortemente em três áreas, Tecnologia, Recursos Humanos (cultura) e Negócios. Obviamente este já é o primeiro grande desafio uma vez que, por tratar-se de uma cadeira recente no Brasil, os executivos ainda têm sua base de conhecimento e atuação centrada em uma ou no máximo duas destas três áreas. Apesar disso, muitas empresas têm cometido o erro de focar excessivamente na busca pelo background técnico “perfeito” e tem esquecido da importância do potencial e soft-skills necessários para a posição.

Em relação a nomenclatura, há grandes variações de empresa para empresa. As mais comuns são Gerente de Inovação, Diretor de Inovação, CIO (Chief Innovation Officer) ou o mais simples e flexível “Head de Inovação”. A grande diferença será a relevância da cadeira na estrutura organizacional bem como o seu nível de reporte.

Ainda, algumas companhias preferem nomenclaturas como Gerente de Inovação de Projetos ou Gerente de Novos Negócios.

As Gerências de Inovação são posições novas no mercado, logo ainda há poucos profissionais atuando com escopos completos da posição. Logo, se torna bastante importante definir objetivamente os problemas de inovação a serem resolvidos na companhia, a situação atual da mesma e a visão de futuro para a área e negócio antes de iniciar as buscas por um executivo.

Cabe ressaltar que autonomia tem papel fundamental na atratividade e no sucesso da posição, usualmente estes profissionais precisam (e também desejam) atuar com liberdade, flexibilidade e acesso ao mais elevado nível de decisão da companhia (CEO e Conselho) uma vez que suas iniciativas podem impactar praticamente qualquer área do negócio. Uma boa dose de habilidade política é muito bem-vinda, mas seu excesso pode engessar e consequentemente servir como barreira para entrega de resultados.

A posição de Inovação cobre um espectro grande de áreas do conhecimento, abaixo seguem algumas das principais habilidades e características que buscamos durante o recrutamento deste profissional:

  • Construção de business cases;
  • Orientação a projetos;
  • Gestão de expectativas e lidar com o insucesso;
  • Desejo da mudança;
  • Curiosidade;
  • Otimismo e positivismo;
  • Capacidade de entrega rápida;
  • Experiência em diversas indústrias;
  • Habilidade política e criação de buy-in;
  • Visão estratégica.

Em 2019 apostamos que a área estará muito aquecida e a disputa pelos melhores talentos será bastante intensa. Uma boa dica é avaliar o mais breve possível se internamente já existe algum profissional com potencial para esse papel ou se será necessário busca-lo externamente no mercado.

3 comentários em “Por onde começar a busca por um Gerente de Inovação

  1. Marcelo Paes Responder

    Acredito muito nessa renovação, o melhor, nessa transformação por que as empresas mais corajosas estão passando. A provocação e o amadurecimento do mercado se apresenta para todos, mas somente as mais corajosas encaram e respondem. Darwin percebeu isso, mas ele também foi um corajoso. Acredito também que é importante valorizar os caminhos trilhados, tanto pela organização que busca, quanto pelo profissional que avança (e que também busca). Por fim, penso que é possível ajudar a organização a desenvolver ou amadurecer sua cultura, com o devido cuidado de que não vire uma caricatura. Temos conhecimento, temos disposição para mudar e temos talentos. A hora é agora!

  2. Samuel Conte Freire Jr. Responder

    O mundo corporativo até que demorou para se dar conta da necessidade real, imediata e visceral de se priorizar não apenas a inovação em si, mas a gestão da transformação nas companhias como um processo constante e interminável.

    As reflexões, sobre o fato de de boa parte das maiores companhias do mundo nem sequer existiam há alguns anos atrás, são impossíveis de ser ignoradas.

    Eu mesmo, um “oldshcool da geração x” mas antenado e aficionado pela nova economia 4.0, tento ao máximo manter o mindset ajustado à velocidade destas mudanças.

    Sobre a busca do mercado por tais gestores de transformação, nos últimos meses testemunhei 2 colegas que exerciam cargos diretivos de alto escalão em empresas tradicionais sem visão para mudança, sendo atraídos por novas companhias para assumirem a posição de Heads de Inovação. Eles decidiram ganhar bem menos dinheiro mas estarem mais alinhados com seu próprio propósito.

    #SinaldosTempos #FuturodoTrabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *