Tendências do Ecommerce

Entrevistamos 141 profissionais da área de ecommerce e nesse post iremos tratar das principais tendências do ecommerce e como você pode estruturar a sua equipe para aproveitá-las. Ao final, faremos três perguntas para você avaliar se sua equipe de ecommerce está com resultados favoráveis.

Cenário atual Ecommerce

No primeiro dia de fechamento das lojas em todo o Brasil, já começaram os comentários nas empresas de varejo sobre quanto das vendas perdidas poderiam ser compensadas nas ferramentas de ecommerce. Todos os olhos do mercado estão voltados para esse canal e estimam-se que aproximadamente 80 mil lojistas iniciaram vendas online nos últimos dois meses segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm). Começa-se uma nova onda de tendências dentro do ecommerce.

Em outras palavras, o ecommerce veio para ficar. Segundo a Statista as vendas online saíram de 1,3 trilhões de dólares em 2014 para mais de 4,5 trilhões em 2021, sendo essa projeção antes do Covid-19. Conforme as novas projeções surgem, já vemos valores que chegam a prever mais de 5,5 trilhões de dólares em vendas ainda no ano de 2020.


Os resultados começam a aparecer com números consistentes nas últimas semanas. De acordo com a Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado com foco em ecommerce e que apresenta os resultados do varejo digital no Brasil, no primeiro trimestre as vendas subiram 27% em relação a 2019. No mês de Abril, quando o país aumentou as restrições de circulação, o crescimento foi de 81%, comparado com o mesmo período do ano passado.

Imagine você ter um negócio onde o seu mercado cresce a uma taxa de 20% independente da crise que aconteça. Essa taxa ainda sofrerá uma alteração mais significativa a medida que:

  • Mais pessoas obtém acessos a dispositivos móveis;
  • Têm acesso a cartões de crédito;
  • Ter no time profissionais capazes de criar experiências únicas de compra, onde pessoas com mais idade podem realizar compras online, sem depender de terceiros.

Alguns analistas ainda preveem que esse crescimento será mais acelerado, a medida que a Geração Z começa a ter um poder aquisitivo maior.

Compras online via dispositivos móveis é a principal tendência no ecommerce

As vendas via dispositivos móveis é uma das principais tendências do ecommerce, pois são nesse canal que as vendas mais crescem. Analistas estimam que 73% das vendas serão realizadas via dispositivos móveis ao final de 2021. Aprimorar as experiências para esses dispositivos torna-se vital para qualquer modelo de negócio.

Os consumidores não estão somente comprando mais via dispositivos móveis, mas também os utilizam para comparar preços, ver avaliações, antes mesmo de comprarem determinado produto. Hoje quem mais utiliza os dispositivos móveis para compras online é a Geração Y; entretanto, estima-se que mais de 60% da Geração Z já compra via celulares e tablets.

Voice Shopping

Apesar de mais visível no mercado americano, o Voice Shopping é uma das tendências do ecommerce, que muitos analistas acreditam que atingirá em breve o Brasil.

Atualmente 19% dos usuários de internet já compraram via dispositivos de voz, enquanto alguns estudos apontam um crescimento de 55% somente nessa categoria, sendo que em 2022 representará aproximadamente 40 bilhões de dólares somente nos EUA. O interessante é o crescimento e o interesse do consumidor nessa categoria, pois 33% dos consumidores pretendem realizar uma compra no próximo ano via dispositivos de voz.

Hoje, 62% dos usuários de dispositivos de voz já compraram algo via “voice commerce” e 30% de todos os usuários da internet já utilizaram algum dispositivo de voz para buscar produtos. O padrão de compra se diferencia dos demais, pois é uma experiência não visual, logo ela é utilizada mais como um canal específico de vendas, do que um canal de busca por determinado produto.

Em breve postaremos um artigo com mais detalhes sobre Voice Shopping, enquanto isso você pode acessar esse site (em inglês).

Mídias Sociais

Cada vez mais as pessoas passam tempo dentro das mídias sociais. Essa é a terceira das tendências do ecommerce que gostaria de compartilhar.

Especificamente no Brasil, gastamos em média 225 minutos diários em redes sociais.

Uma nova pesquisa realizada pela GlobalWebIndex detectou que o tempo gasto nas redes sociais aumentou quase 60% nos últimos sete anos. O tempo médio é assustador. Em 2012 era de 90 minutos diários e em 2019 foi de aproximadamente 143 minutos, sendo que a América Latina, é o local onde mais se utiliza: a média diária é de 212 minutos!

Essa é uma das tendências do ecommerce que veio para ficar e você, seja empresário ou profissional da área, deve ficar atento a esses números.

Caso queira saber mais, cliquei aqui.

Alta disputa por profissionais de ecommerce

Existem duas posições que estão altamente demandadas. A primeira, que aparece na maioria das pesquisas, é desenvolvedores. A segunda categoria são as gerências e diretorias de ecommerce.

Hoje as redes sociais possuem o poder de incrementar o valor da sua marca ou simplesmente destruir o seu negócio.

Não basta mais apenas ter posts bonitos, gastar altos valores em posts patrocinados. Nos dias de hoje se faz necessário ter uma estratégia robusta e diferente de todos os seus concorrentes.

Profissionais dessa área que tem um track record sólido e com boas referências são extremamente raros. Vemos muitas pessoas se intitulando “especialistas em ecommerce”, mas quando analisamos a fundo, infelizmente os seus projetos são frágeis.


Buscar lideranças para a área tem sido algo bastante frequente em nossos projetos durante os últimos 4 anos, e acreditamos que essa tendência do ecommerce irá durar mais 10 anos, pelo menos. Desde contextos mais básicos de implementação da ferramenta e desenvolvimento do modelo de comercialização, até posições de liderança equivalentes às tradicionais diretorias de outras áreas, levando em conta desafios complexos aliados ao movimento de transformação digital.

Consumo Consciente

Essa é uma tendência no ecommerce extremamente relevante, entretanto poucas empresas ainda prestam atenção a ela. Em 2019 um total de 50% dos consumidores disseram que se importam como o seu produto é feito. Essa pesquisa não englobou apenas se a sua empresa utiliza materiais recicláveis e orgânicos, mas também como é realizada a escolha dos seus fornecedores.

Uma marca muito famosa no Brasil por se importar com a fabricação dos seus produtos é a Oskley.

Nesse link, eles comentam um pouco sobre sua estratégia, desde sua cadeia de fornecimento até as matérias primas escolhidas para fabricação dos seus produtos. Só para tirar a sua curiosidade, alguns dos seus produtos são produzidos com algodão reciclado, algodão orgânico, pet reciclado, cânhamo e Tyvek.

Inclusive eles criaram um nome para esse movimento, chamado ASAP (As Sustainable As Possible As Soon As Possible).

Esse quesito não se remete somente a roupas, mas também ao consumo de alimentos. Ter produtos veganos, além de diminuir impactos ao meio ambiente, também podem ajudar o seu negócio a crescer.

Customer Experience (experiência do consumidor)

Muito se fala sobre o consumidor no centro da estratégia da marca, mas poucas empresas realmente o fazem. Quantos e-mails com produtos que você não quer comprar você recebeu? Exatamente disso que estamos tratando.

Essa é uma das tendências do ecommerce mais relevantes: tratar o seu cliente como um consumidor único. Você pode avaliar o Mapeamento de Customer Experience que realizamos recentemente, e as remunerações a cada ano aumentam significativamente. Poucas empresas ainda se deram conta do poder que um Gerente de Customer Experience pode fazer na organização. Esse é um dos diálogos que temos com grandes clientes do ramo varejista, pois trata-se de uma posição nova que levará a empresa a outro nível.

Existe um mercado com grandes recursos, mas pouco explorado, que é o ecommerce de pessoas com mais idade. Algumas pesquisas informam que ainda temos poucos idosos comprando online, não por insegurança, mas por falta da usabilidade da maioria dos ecommerces.

Inteligência Artificial no processo de compra online

Estima-se que o investimento no varejo em inteligência artificial chegue a 7,3 bilhões de dólares, um incremento relevante em relação a 2018, onde gastavam-se “apenas” 2 bilhões dólares. Hoje as empresas precisam segmentar os seus clientes e realizar réguas complexas de relacionamento para aumentarem as suas vendas.

Mais de 50% dos consumidores informam que uma experiência personalizada é relevante no momento da compra, sendo que 74% dos maiores especialistas em marketing digital, dizem que a personalização terá um impacto extremo na criação de relacionamento com os clientes. Você sabe que horas determinado cliente tem maior probabilidade de ver o seu e-mail? Que tipo de produto é mais aderente ao seu perfil? Qual conteúdo ele gostaria de saber mais?

Realidade Aumentada no ecommerce

Até 2022 mais de 120 mil lojas usarão a tecnologia de realidade aumentada (RA) para oferecer uma experiência rica, tanto no ecommerce quanto nas lojas físicas. Essa é a mais nova tendência no ecommerce americano e que está aumentando ano após ano.

Uma das principais preocupações de quem realiza compras online é que “compramos imagens”, não um produto físico. A tecnologia de realidade aumentada veio para suprir esse gap. Além disso, ela fará com que o consumidor entenda melhor o que realmente precisa e se o produto que pretende comprar realmente supre suas necessidades. Algumas marcas de ecommerce já começaram experimentos com RA e demonstraram excelentes resultados.

Logística para ecommerce

O processo logístico para um ecommerce é um dos principais desafios, pois tratam-se de compras fracionadas e para lugares totalmente distintos do Brasil e do mundo.

Além do mais, o processo logístico é de onde provém boa parte do custo, normalmente, onde há boa margem para redução e um dos principais motivos de reclamação dos clientes. Tenha uma equipe na sua área de ecommerce que proporcione estratégias inovadoras para reduzir o seu custo e ganhar mais clientes.

Tendências no ecommerce após Covid-19

O vírus Covid-19 irá aumentar as vendas online em aproximadamente 27% somente no ano de 2020. Os analistas estão prevendo um crescimento abrupto no faturamento da Amazon (que já é elevado).

A previsão é de um crescimento de 22% e suas ações foram um dos raros ativos que subiram no primeiro trimestre de 2020. Enquanto isso, os analistas estimam que a Apple tenha uma queda de quase 20% no mesmo ano, sendo que alguns bancos estimam uma queda de 36% (Goldman Sachs).

Minha equipe de ecommerce é efetiva?

O primeiro ponto que temos que avaliar é: Suas vendas cresceram no varejo online, mais do que 27% somente esse ano (mantendo a margem)?

A segunda pergunta que deve ser feita é: A minha equipe está atenta as principais tendências do ecommerce?

Por último: Caso você perca o principal profissional da equipe, você tem um sucessor claramente definido?

Se você respondeu “sim” para as três perguntas, possivelmente, sua equipe está bem montada. Caso contrário, existe uma grande probabilidade de enfrentar problemas à frente.

Lembre, esse mercado cresceu somente esse ano 26,7%. Caso você não tenha crescido a taxas iguais ou maiores, provavelmente, o seu concorrente está suprindo a necessidade dos seus clientes. Observe as principais tendências do ecommerce e avalie o que faz sentido para o seu negócio.


Autores

Guilherme Abdala é Administrador de Empresas com ênfase em Marketing, especialista em Gestão Empresarial pela UFRGS. Atualmente sócio da Evermonte Executive Search e lidera as áreas de Vendas e Marketing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *